Clara e seus “rolês” pelo mundo

Clara Ruiz é uma jovem, brasileira, de 20 anos que carrega alguns – muitos – admiradores em suas redes sociais com suas viagens. Ultimamente acompanhamos sua eurotrip e, fascinados com tamanha destreza da menina em outros países, fomos logo bater um papo..

O começo

Clara viajou pela primeira vez aos 4 anos para Disney e foi ali que sua paixão por viagens começou. Hoje, aos 20 anos de idade, a jovem já visitou 22 países!

Eurotrip

Clara e seu amigo viajaram pela Europa e a jovem, esperta, logo criou um perfil no Instagram para atualizar seus seguidores que queriam saber sobre sua viagem e seus destinos. Com o user “papos.e.roles” a jovem organizou o Feed de acordo com os dias da viagem (dizendo o que fez em cada dia e postando suas fotos).

Além disso, também compartilhou/compartilha um pedacinho de suas viagens em seu Instagram pessoal (clar.a) e no Instagram que criou para postar todas as fotos – talentosíssimas, devemos dizer – que faz (eu.q.tirei).

Confira alguns cliques maravilhosos de Clara:

Instagram de Clara
Instagram de Clara

Planejamento

“Inicialmente íamos eu e mais 3 amigos. Dois deram pra trás e sobramos eu e o Bruno e decidimos ir só nós dois.
Primeiro fizemos um roteiro um pouco diferente do que foi o nosso, aí apresentei pra Mariana (uma mulher incrível que trabalha aqui em Friburgo –
cidade onde Clara nasceu e sua família reside– e com quem eu faço todas as minhas viagens) e ela deu uma mudada pra facilitar financeiramente e também em relação à transporte.
Isso foi mais ou menos em maio, quando fechamos o roteiro e compramos as passagens aéreas. “

Ficamos curiosos: quem é Mariana e como ela pôde ajudar Clara?

A Mari faz um trabalho incrível, ela que concretizou o roteiro, pesquisou todas as passagens, hospedagens, tudo com o melhor preço pra gente. A minha família já viaja com ela há um tempo e agora ela abriu a própria Consultoria de Viagens em Friburgo, vale muito a pena conferir o trabalho dela. O email dela é marianacaetano.turismo@gmail.com

Locais

Visitamos Paris, Berlim, Praga , Budapeste, Viena, Salzburgo, Munique e Amsterdam. Um total de 6 países e 8 cidades. Deu pra rodar bastante em 27 dias. “

Para os interessados nos destinos acima sitados, pedimos à simpática jovem que nos desse uma relação de todos os lugares que ela visitou durante esses 27 dias. Confira:

“Então, em Paris eu e o Bruno já tínhamos ido, então visitamos lugares que não tínhamos visitado das outras vezes e também alguns repetidos. De resto vou colocar os lugares pagos, porque fizemos muita coisa a pé e na Europa muitos programas são gratuitos (catedrais, monumentos, memoriais…), além do fato de andar na rua e observar a arquitetura, as pessoas e os cantinhos ter sido algo que fizemos em todos os lugares (e também é gratuito, risos).”

Paris:

Instagram de Clara

Louvre“comprei no Get Your Guide e vale muito a pena pra não pegar a fila bizarra que é na hora. “
Tour Eiffel “comprei no site oficial da torre. “
Château de Versailles “compramos na hora. Demos muita sorte porque chegamos num horário bom e não pegamos muita fila, mas quando saímos a fila era a maior que eu já vi na vida. Então se der pra comprar antes, acho uma boa. E se não der, é bom chegar o mais cedo possível.”
Centre Pompidou – “compramos na hora, sem fila”
Espace Dalí – “compramos na hora, sem fila
Musée Rodin – “compramos na hora, sem fila

Berlim:

Instagram de Clara


Não entramos no Reichstag porque não tínhamos muito tempo, mas acho que vale a pena entrar e tem uma visita guiada que pode ser agendada online se não me engano.
Topographie de Terrors – “nem lembro se tinha que pagar, mas se sim, compramos na hora e sem fila.”
Berliner Dom e Ilha dos museus – “dá pra comprar todos na hora e sem fila também”
DDR Museum (meu fav de Berlim) – “compramos na hora sem fila”
TV Tower – “compramos online e tem que agendar horário com antecedência, sempre muito cheia”
Berliner Unterwelten – “compramos na hora e sem fila”

Praga:

Instagram de Clara


Free Walking Tour – “você encontra no meeting point e paga o quanto você achar que valeu o tour”
Pub Crawl – “compramos em um hostel chamado Ananas na hora mesmo
Castelo de Praga – “fila grande
Museu do Comunismo – “compramos na hora sem fila
Museu da KGB –tentamos ir mas tava fechado, mas dá pra comprar na hora sem fila também

Budapeste

Instagram de Clara

Conhecemos a cidade toda a pé, não fomos em muitos lugares pagos
Matthias Church – “compramos na hora sem fila”
Pub Crawl – “compramos no nosso hostel (Maverick City Lodge) na hora mesmo”

Viena

Instagram de Clara


Casa das borboletas – “compramos na hora e sem fila”
Leopold Museum – “na hora e sem fila”
Museu de história natural – “na hora e sem fila”
Albertina Museum – “na hora e sem fila”
Casa do Mozart –na hora e sem fila”
Free walking tour – “em Viena tem que reservar online, mas é o mesmo esquema de pagar o quanto você achar que valeu”
Opera – “não conseguimos entrar, acho que só se você comprar uma apresentação mesmo”
Figlmuller – “um restaurante famosíssimo que TEM que reservar, ficamos 1h na fila um dia e não entramos e no outro entramos depois de 2h esperando”
Museu da ilusão de ótica “na hora e sem fila”
Schonbrunn Palace – “não entramos porque não tínhamos tempo, mas tinha bastante fila, acho que vale comprar antes”
Belvedere Palace – “compramos na hora sem fila”

Salzburgo:

Hohensalzbourg “compramos na hora sem fila”


Munique:


Torre da prefeitura“na hora e sem fila”
Residenz “na hora e sem fila”
Neuschwanstein Castle“fica em Fussen, uma cidade a 2h de Munique de trem. O bilhete do trem compramos na hora na estação de Munique mesmo e o do Castelo dá pra comprar lá com uma fila não muito grande”

Amsterdam:


Van Gogh Museum – “compramos pelo Get Your Guide (impossível comprar na hora, muita fila)”
Stedelijk Museum – “compramos na hora e sem fila”
Moco Museum “na hora e sem fila também”
Casa do Rembrandt –na hora e sem fila”
Heineken Experience “compramos na hora, mas dá pra compra online e eu acho que vale a pena, pegamos uma filhinha chata”
Casa da Anne Frank “compramos o ticket errado então não fomos – TEM q comprar online e só pelo site oficial”

Transporte e alimentação


“Em relação aos gastos, procuramos economizar o máximo, mas com certeza seria possível fazer uma viagem ainda mais econômica, já que acabamos comendo em restaurantes pelo menos uma vez todos os dias e não pesquisamos muito sobre o transporte público dentro das cidades com antecedência então acabamos pagando por tickets individuais (o que pode sair mais caro do que comprar um “passe”, tipo um vale transporte). “

Estadia e passagens


” A Mariana pesquisou todas com muita antecedência pra gente, o que fez com que conseguíssemos preços bem mais acessíveis do que se comprássemos em cima da hora. Viajamos de avião, ônibus e trem, buscando sempre o meio mais em conta pra cada destino.”

” Em alguns lugares ficamos em Hostel, o que eu SUPER recomendo pra jovens viajando sozinhxs. É uma experiência completamente diferente e é incrível: você tem a oportunidade de conhecer muita gente, compartilhar experiências e xs funcionárixs sempre sabem dar dicas ótimas do que fazer.”

E de todos os lugares que já visitou, onde cogitaria morar ?- ficamos curiosos.

Instagram de Clara


“Pra morar eu acho que escolheria Paris ou Viena. Já fui a Paris algumas vezes e cada vez é uma experiência diferente, lugares diferentes e sempre é apaixonante. Mas fiquei apaixonada por Viena também. Fizemos um Free Walking Tour lá (em quase todos os lugares, na verdade, o que vale muito a pena) e a nossa guia elogiou muito o dia dia na cidade. Não à toa Viena está, em muitos rankings, em primeiro lugar como cidade com melhor qualidade de vida no mundo. E realmente, a cidade é linda em cada detalhe.”

Os preferidinhos da viagem

“Dos lugares novos que visitei, amei demais Viena e Budapeste. Cada cantinho dessas cidades é incrível!
Me decepcionei um pouco com
Munique, esperava mais do lugar. Não sei se porque pegamos muito frio e neve o dia todo, mas de todos os lugares que visitei, foi o que menos me encantou.”

Instagram de Clara

Problemáticas na Europa

Apesar de todo cuidado e responsabilidade, a jovem brasileira ainda passou alguns sufocos fora do país. Confira e anote aí as dicas que ela deu sobre:

Cara, esse lance do passaporte foi um mole que eu dei mesmo (…)” -respondeu quando perguntada em relação a quase ter perdido o passaporte no meio da viagem –

“(…) Em alguns museus na Europa eles pedem pra deixar a mochila antes de entrar, e eu sempre levo o passaporte comigo pra não correr nenhum risco. Dessa vez tava sem bolso no casaco e coloquei no bolso de trás da calça, aí no meio do museu sentei pra ouvir uma explicação e quando levantei o passaporte caiu sem eu sentir. Foi um susto até eles me devolverem, mas nunca tinha acontecido antes em nenhuma outra viagem.
Eu acho que o mais importante é sempre manter os documentos mais importantes (passaporte, passagens, tickets e até dinheiro) no mesmo lugar e com você. “

Além desse susto, Clara e seu amigo Bruno (que viajou com ela), desejavam visitar a casa de Anne Frank. Porém, somente a minutos da visitação perceberam que estavam com os tickets errados.

“Sobre os tickets, comprei alguns com antecedência das atrações que sabia que eram muito cheias, o que vale super a pena: você evita as filas e ganha tempo. O da Anne Frank foi um, mas comprei pelo Get Your Guide sem ler com atenção, ai acabei comprando o ticket errado. Esse aplicativo é ótimo, comprei vários por lá. Mas algumas atrações só vendem pelo site oficial, como a Anne Frank, e tem que ter atenção pra isso pra não cometer o mesmo vacilo que eu!”

O planejamento das viagens

Instagram de Clara

Clara passa a sensação de ser bastante destemida e corajosa, tem a alma livre que adora viajar pelo mundo (não foram coincidência os 20 tantos países aos 20 anos!) por isso, logo perguntamos se ela costuma se jogar pelo mundo a fora, ou planeja com certo cuidado e antecedência suas viagens.

“Cara, por mim eu sairia de uma viagem planejando outra. 
Costumo planejar uma ou duas vezes ao ano, normalmente nas férias. Acaba variando em relação à grana e à minha família também, porque costumamos viajar bastante juntos.”

Uma viagem inesquecível

“Nossa, essa foi com certeza a pergunta mais difícil!
Eu viajei sozinha pela primeira vez em janeiro de 2015, quando fiquei 2 meses no
Canadá, em uma host family incrível que ,e recebeu da melhor forma possível. Nos últimos 15 dias minha família e meu ex namorado me encontraram lá, foi tudo maravilhoso! Talvez essa tenha sido a melhor experiência da minha vida.
E em fevereiro de 2016 fiz uma roadtrip pela
Europa em família também, que o coração bate forte até hoje vendo as fotos. Foi demais!
Agora não sei escolher qual é a preferida, acho que são as duas queridinhas.”

Dica

Ainda nova, Clara tem bastante experiência e temos certeza que a cada viagem aprende algo novo. Pensando nisso, pedimos à ela que nos desse algumas dicas para pessoas que tem desejo de viajar sozinhas (ou em grupo!).

“Cara, eu acho que primeiro de tudo é estar bem com você mesma, saber apreciar a sua companhia sem depender de ninguém.
Depois, organização. Cuidado com documento, horário, essas coisas. Pra evitar transtorno né. Nunca perdi nada, mas acredito que seja um desgaste bem grande.
Mas eu também acho que é bom a gente ir e se jogar, sem medo de errar, de se perder, de não falar o idioma local, de não saber onde tá. Aprendi muito assim no Canadá e em Cambridge: me perdi muito, andei muito, me virei muito! E foi tudo ótimo, no fim sempre dá tudo certo!”

Com organização e planejamento, definitivamente é difícil das coisas saírem do controle. E mesmo que aconteça, a probabilidade de você conseguir resolver problemas e achar soluções, é grande.

Esperamos ansiosos pela sua próxima viagem, Clara!

Deixe uma resposta