Lugares para conhecer aos 18 anos

Ao chegar nessa idade muitos tem o sonho de viajar para um lugar específico ou fazer sua primeira viagem. Pensando nisso, trouxe aqui algumas dicas de lugares para conhecer aos 18 anos!

Europa

Milão

1. Se perder nos meandros e lendas da catedral gótica mais bela do mundo e quase tocar o céu passeando pelos seus telhado

Essa maravilha da arquitetura medieval tem um pouco de tudo para agradar turistas e milaneses: o belíssimo revestimento de mármore de Candoglia, os vitrais que vão do século 13 ao século 20 e contam as histórias da bíblia, o coro de madeira, os órgãos seculares, a cripta de São Carlos, os restos romanos nos subterrâneos e a magnética estátua de São Bartolomeu apóstolo, que segura a sua própria pele e mostra aos cristão e não, o seu martírio.

Mas a visita não vai ser completa se você não se aventurar pelas alturas e visitar os telhados. Uma galeria de esculturas a céu aberto, se perca entre os seus 135 pináculo e respectivas estátuas,  já que os detalhes lá de cima são ainda mais surpreendentes e se o dia ajudar com um céu límpido e um pouco de sol, não tem como não se apaixonar.

2. Dar uma de dandy na Galeria Vittorio Emanuele

Pensada como um corredor entre a Praça Duomo e Praça Scala, era usada pela burguesia milanesa para passear antes ou depois dos espetáculos do Teatro Scala.

3. Ver o interior do Teatro Scala sem pagar pelo ingresso

Ver um espetáculo qualquer no Teatro Scala requer uma certa dose de organização mesmo para nós que moramos aqui. Lembretes no celular, dedo no mouse às 9 da manhã quando abrem as vendas no site, coisas desse tipo.

Filarmonica della scala. Direttore e pianoforte, Daniel Baremboim. Ph Andrea Mariniello

Se uma pessoa disser que é um tenor, a primeira coisa que vão perguntar a ele é se já se apresentou no Scala, afinal esse ainda é o maior tetro de lírica do mundo.

Não deixe se enganar pela fachada neoclássica austera e sem grandes apelos. O interior é glorioso e a sala é uma das coisas mais bonitas que já vi na vida.

4. Fazer um (autêntico) happy hour milanês

Quando um local sai do trabalho e vai até um bar fazer um happy hour (aqui se diz aperitivo) com os amigos, não vai só tomar um drink e comer um pouco de amendoins e batatinhas. Quase sempre, ele vai jantar. Porque o happy hour milanês verdadeiro é aquele que te propõe um buffet de comidas quentes e frias à vontade.

Existem alguns bares que não tem o buffet e servem pratinhos de petiscos, mais ou menos elaborados, em cada mesa.

Qualquer que seja a versão, no final do seu dia de passeio e compras, escolha um bom bar no centro, Brera ou na area dos canais (Navigli) e relaxe como um milanês, fazendo um aperitivo!

5. Comprar (ou não) no Quadrilátero da Moda

Corso di Porta Venezia, Via Manzoni, Via Montenapoleone e Via della Spiga. São essas as 4 ruas que formam um quadrado e fecham o que o mundo ( e nós) chamamos de Quadrilátero da Moda.

Dentro desse perímetro você encontra a maior concentração de grifes do mundo, com uma sucessão de lojas e vitrines que fazem cair os queixos, as vezes pela beleza das roupas, mas quase sempre pelos preços astronômicos.

Mas comprar no Quadrilátero da Moda de Milão não é obrigatório e olhar na custa nada, então vale uma voltinha pelas ruas elegantes, com prédios e palácios de grande beleza e muitas vezes ignorados pelos turistas.

Dicas tiradas do site: milaonasmaos.it

Deixe uma resposta