#1 Diário de Intercâmbio: Intercâmbio é acessível?

Aqui no Meu Intercâmbio, a gente costuma contar histórias, divulgar oportunidades, mas nesse diário, vou compartilhar com vocês, de fato, o meu intercâmbio.

Oi, meu nome Isabel e tenho 22 anos, acho que nunca me apresentei por aqui, mas sinto essa necessidade agora, já que nas próximas matérias estarei compartilhando uma parte da minha vida com vocês.

Vontade de ir eu sempre tive. Sou daquelas que querem conhecer culturas, encontrar os mais diversos tipos de seres humanos, andar por lugares inacreditáveis e ter muita história para contar. Só que esse sonho custa caro.

Antes de tudo. Não. O intercâmbio não é plenamente acessível. Não se iluda achando que basta querer muito e pronto, conseguiu.

Não funciona dessa forma (a menos que você tenha dinheiro para isso).

No caso, eu não tinha dinheiro. Aliás, eu tinha um total de zero reais e sonhava com o tal do intercâmbio.

Era universitária e tinha um ritual de mandar currículo para estágio toda semana, porque assim que eu conseguisse o famoso emprego, na minha cabeça, daria para pagar um intercâmbio.

Mas o emprego não veio, mesmo assim lá estava eu pesquisando agência, escola e fazendo orçamento. Planejando até viagens pela Europa, porque se for para se iludir, é melhor se iludir direito.

Escolhi Irlanda como destino, um dos melhores custo-benefício e minha banda favorita é de lá, então parecia destino. Porém tudo o que eu tinha era aquele dinheirinho que sobrava da passagem, que dava pra trocar por €1 (um Euro) no máximo.

Intercâmbio Acessível?

É aí que eu deixo claro que o acesso ao intercâmbio é bem seletivo, é um funil que une o útil ao agradável. Eu tinha o útil: meus pais pagam minha faculdade e não arco com despesas de casa porque moro com eles. Então fui em busca do agradável: Uma forma de ganhar dinheiro, já que meus pais não poderiam bancar o valor do intercâmbio.

Descobri que podia trabalhar por conta própria, famoso freela. Tinha feito curso de design, de roteiro, de inglês… coisas que sei que me fizeram conseguir entrar naquele funil e enxergar o intercâmbio de forma bem mais acessível.

Juntei o dinheiro da entrada, escolhi a agência que mais que inspirou confiança (aliás, essa foi a parte mais difícil, mas falaremos sobre isso em outro episódio) e por fim, consegui. Mas…

Na verdade, eu “consegui”, porque só vou em Janeiro de 2020, ainda tenho 2019 pelo caminho e 10 boletos para pagar. Não sei o que pode acontecer até lá, tanto aqui no Brasil, quanto lá na Europa.

A verdade é que estou muito ansiosa para conhecer Dublin, mas até esse dia chegar vou contando por aqui quais têm sido as novidades desse processo de intercâmbio.

Então, até o próximo diário 😊

2 comentários em “#1 Diário de Intercâmbio: Intercâmbio é acessível?”

  1. Ter foco é o principal ! Não é algo suuuper acessível , porém não é impossível. Claro, não cresci dentro dessa realidade de vida , mas até que meus pais estão lidando com isso de boa ( meu pai vai chegar lá .. RS) , mas creio que será uma experiência única na minha vida . Como vc , estou ansiosa demais para chegar em Dublin. 💕

Deixe uma resposta