As armadilhas a evitar como turista na Rússia

Veja 7 dicas do correspondente da DW no país para aproveitar a Copa com tranquilidade

Nessa quinta-feira, dia 14/06, inicia-se a Copa do Mundo na Rússia, país que irá cediar a Copa do Mundo. Milhões de turistas estrangeiros já estão por lá ou a caminho para acompanhar de pertinho os jogos. Mas como se proteger de golpes e armadilhas no país?

Confira as dicas que separamos.

Olhe para os lados, fique atento!

Nas ruas de Moscou, carros tão pesados que mais parecem pavimentadoras de asfalto e automóveis de luxo, acompanhados com luz azul: podem carregar pedestres e ciclistas consigo.

Muitas pessoas gostam de andar admirando as avenidas e ruas, mas é justamente por onde esses “foguetes de quatro rodas”costumam acelerar.

Silêncio no metrô

Se uma mulher mais velha entra no metrô, os homens lhe oferecem as cadeiras.

Com barulho do trem subterrâneo, não adianta nem querer puxar conversa. Assim, boa parte dos nativos passa o tempo no transporte olhando e mexendo em seus celulares. Mas atenção: a rede Wifi é desprotegida, se você tiver dados confidenciais no seu aparelho, saiba que corre risco de uma hacker (ou qualquer outra pessoa) ter acesso a eles.

Carregue sempre seus documentos

Os estrangeiros devem sempre andar com o passaporte em mãos, principalmente ao deixar o hotel. Um oficial pode pedir seus documentos e você ir parar da delegacia por conta disso.

Comer na rua: não!

Dá fome gritar e pular durante um jogo, mas segure e procure um restaurante após o jogo se você não quiser passar mal e passar o resto da Copa no banheiro (ou em um hospital!)

Não compre nada na rua

Produtos baratos na rua podem sair caro pelo seu mal funcionamento, ou por não funcionarem. Cartões de celulares e brinquedos são vendidos na frente dos estágios, mas podem parar de funcionar no momento que você põe a mão.  Caso seja turista no país, procure por lojas subterrâneas ou estações de trem para artigos de decoração e lembranças do país.

O cliente nem sempre tem razão

Os clientes costumam “atrapalhar” a tranquilidade de vendedores, garçons ou comissários de bordo.

Um exemplo bem comum no país é que os Russos cozinham muito bem, porém o garçom que está lhe atendendo pode muito bem retirar os pratos antes de você terminar de comer.

Essa “educação” com o cliente é recompensada com a recepção de estrangeiros: ótima hospitalidade dentro de casa e mesas fartíssimas com vodca abundante.

Competição de vodca? melhor não!

Que os Russos bebem (até demais) todo mundo sabe, mas é tudo com moderação. Eles bebem, mas a bebedeira é seguida de muita comida gordurosa para poder segurar o álcool (e manterem seus fígados).

Ocasionalmente a situação ainda sim sai do controle: dois jovens morreram na região dos Montes Urais ao ativarem uma granada de mão com intenção de fazer uma foto espetacular. Então, cuidado e juízo são sempre bem vindos (não só na Rússia, é claro!)

Deixe uma resposta