Intercâmbio em família

O depoimento de uma família mineira, que atualmente vive em BH, e que decidiu fazer intercâmbio com as duas filhas para o Canadá.

A família

Muito simpática e honesta sobre suas viagens, Kenia Fiúza, psicóloga e advogada, contou-nos um pouco sobre a família e o despertar da vontade de conhecer o mundo.

“Sou casada com o Pedro e mãe da Bianca e da Clara. Eu sou a responsàvel pelas postagens no blog e nas redes sociais (apesar de todos ajudarem fazendo vídeos, tirando as fotos, lembrando de detalhes, dando sugestões, etc).”

“Viagens sempre fizeram parte de nossa vida, principalmente depois da nossa lua de mel. O interesse por conhecer novos lugares só foi crescendo mas, sempre viajámos através de agências. Em 2012 fizemos uma viagem para Portugal e Espanha na qual fiz toda a programação, li tudo sobre os locais que visitaríamos, fiz reservas em restaurantes, etc. a partir de então fazemos nossos próprios roteiros e pesquisas de acordo com nossos interesses. ”

O Intercâmbio

Às vezes pode parecer impossível realizar um intercâmbio: ir para um país diferente, viver uma cultura completamente diferente da qual você está acostumado… imagina fazer isso tudo com filhos na história. Mas Pedro e Kenia deram um jeitinho.

O interesse de fazer intercâmbio e aprender um novo idioma vivendo a experiência em família, surgiu quando o casal e as filhas passaram por uma situação complicada em uma viagem para Disney: tiveram os quatro passaportes roubados dentre outros itens pessoais. Viram-se perdidos ao terem que ir para delegacia, no meio da madrugada, regristar um boletim de ocorrência… isso tudo sem ter fluência da língua inglesa.

Depois desse susto, decidiram que não podiam mais esperar: era hora de aprender o idioma para poderem viajar tranquilos e se caso passasse por outras problemáticas, pelo menos, com o domínio de um idioma local, a situação não seria tão ruim assim.

Escolha do local

“Passamos várias tardes pesquisando e aos poucos fomos excluindo alguns lugares: eu não queria Estados Unidos porque sempre me lembrava daqueles ataques que já ocorreram em escolas e que mataram muitas crianças (coisa de mãe) e também porque nossa experiência em viagens aos EUA não tinham sido muito boas. O preconceito contra latinos lá é considerável. Meu marido não gosta de frio: outra variável que também levamos em consideração. Cogitamos Malta, Inglaterra, Canadá…. e não conseguíamos nos decidir. Até que soubemos que haveria uma reunião na escola de nossas filhas para uma excursão de duas semanas para o Canadá. Fui até lá para ver se conseguiria alguma informação, algum contato que pudesse ajudar na nossa escolha. E foi isso que aconteceu. Lá conheci Thaís Mascarenhas do Canadá Inesquecível, que nos deu todo direcionamento que precisávamos. Ela trabalha para o governo canadense e tem contato com várias escolas e universidades naquele país.

Planejamento

“Pegamos informações sobre várias cidades e Thaís nos dava dicas se valia a pena ou não estudar naquela cidade, custo de vida, estilo de vida da cidade, clima, até que todas as considerações nos direcionaram para Victoria, a capital de British Columbia. Cidade definida, começaram os preparativos. Foi a fase mais tensa pois, dependíamos da liberação de licença do trabalho, recebimento de LOA ( carta de aceitação das escolas canadenses, sem a qual não tínhamos como tirar o visto de estudante) pesquisar sobre aluguel de casa , fazer levantamento de custos ( até sites de supermercados canadenses nós consultamos para tentarmos descobrir qual seria nosso gasto mensal lá).”

“No fim tudo deu certo: meu marido foi para Universidade fazer cursos na área dele, as crianças estudaram em escolas públicas canadenses e eu estudei no Centro de Refugiados da cidade. Foram 7 meses de grandes experiências e muito aprendizado. Ver como outras sociedade funcionam e se organizam nos torna mais cidadãos de forma geral, nos faz repensar e reavaliar nossa papel no mundo.”

O site Viagem e Intercambio em Família

Kenia e Pedro resolveram montar um site, como dito anteriormente, em que a família se divide para poder cuidar de postagens e fotos, para poderem compartilhar suas experiências não somente dos locais visitados, mas também, de cuidados e dicas de viagens.

“Nosso site tem como objetivo compartilhar nossas experiências de viagens e estimular que outras pessoas façam o mesmo, principalmente famílias uma vez que, pra elas não basta simplesmente comprar um bilhete e ir: necessita organização, planejamento e muitos ajustes. ”

Planejamento para viagens com crianças

“Sempre consultamos o calendário escolar das crianças antes de viajar para que não atrapalhe o rendimento delas. Atualmente, temos viajado apenas nas férias umas vez que já estão em séries mais avançadas que não permitem mais que percamos muitos dias de aula. Um ou dois dias ainda é contornável na atual fase. ”

Muito mais que uma simples viagem: uma experiência de vida

“Também queremos transmitir a ideia de que viajar não é simplesmente ir a outro lugar para ter mais um na sua lista: em toda viagem há um aprendizado seja da língua, cultural, uma troca de experiência que acrescenta, uma vivência que faz a diferença. Por esse motivo, ultimamente temos escolhido ficar mais tempo nas cidades que visitamos do que visitarmos muitas cidades de uma vez. Então alugamos uma casa (normalmente airbnb), fazemos compra nos supermercados, frequentamos bilbliotecas, cinema e teatro e tentamos levar a vida como um local”

Locais já visitados

Pedimos para o casal nos contar um pouco sobre quais locais já visitaram e qual foi o favorito deles até agora, apesar de um pouco receosos em responder (por terem gostado de todos até agora), Kenia não poderia dizer outro: o Canadá, é claro!

“Com as crianças já fomos para EUA ( Disney) por duas vezes, Canadá e Europa ( França, Inglaterra e Escócia) que foi nossa última viagem de férias ( dez 2017). Nós dois já fomos também para o Chile, Argentina, Portugal, Espanha, Suiça, Bélgica,Itália, Áustria, e queremos rodar o mundo.”

“Difícil escolher o melhor lugar para o qual já viajamos pois cada lugar tem suas características, seu lado bom e o ruim mas, somos apaixonados pelo Canadá e se pudéssemos escolher outro país para morar ele seria um forte candidato. Trata-se de um país multicultural, que respeita as diferenças, com uma natureza deslumbrante, e excelente qualidade de vida. Até hoje não temos nenhum lugar eleito como o pior (ainda bem), voltaria em todos os lugares que já fomos, com certeza!”

Viajar com crianças

Se quando vamos viajar sozinhos ou com uma companhia já temos trabalho e exige planejamento… imagina com crianças! Pedimos para o casal nos explicar um pouco mais sobre a dinâmica que usam para poderem viajar tranquilos com suas filhas e não passar por nenhum problema.

“Antes de viajar com nossas filhas ( viagens para o exterior) adotamos as seguintes medidas: fazem uma consulta com o pediatra que sempre nos fornece uma receita de médicamentos de urgência que devemos levar ( com dosagem prescrita e orientações. Na dúvida, sempre fazemos contato com ela ou com outro médico da família antes de medicarmos) e check up no dentista ( ninguém merece dor de dente, muito menos nas viagens). Faço uma pasta com todos os nossos documentos autenticados ( inclusive passaporte, CN, CI ) além de ter todos os documentos scaneados em arquivos no computador e celular. Nessa pasta também vão todos os tickets, reservas, roteiros e impressos.”

“Alguns dias antes das viagens evitamos comer fora de casa ( para prevenir algum tipo de intoxicação alimentar). Nunca viajamos sem seguro saúde. Além disso, colocamos no bolso das meninas nossos nomes completos, número do celular ( normalmente compramos chip no exterior) e endereço de onde estamos hospedados, no caso de se perderem ( a gente tem que considerar tudo). ”

Dicas do casal: pesquisa, planejamento.

“Para quem deseja fazer um intercâmbio em família sugerimos que pesquisem bastante . Leve em conta todas as variáveis possíveis: necessidade/facilidade de conseguir visto para o país, custo de vida, valor dos cursos, tamanho da cidade, qualidade de vida ( principalmente em relação a segurança das cidades), condições climáticas, etc. Tudo isso influencia positiva ou negativamente, na adaptação e, consequentemente no bom aproveitamento do seu investimento. Cada família possui um perfil diferente por isso, além de pesquisar sobre o local escolhido, tente conversar com pessoas que moram ou já moraram onde vocês escolheram.”

“Como a rotina de vocês será alterada drasticamente, quanto mais informações vocês tiverem do lugar, mais seguros se sentirão. Além, é claro, de programar-se financeiramente e isso depende do estilo de vida que a família tem e pretende ter quando estiver no intercâmbio. Façam uma lista de prioridades e característica que vocês almejam. Por exemplo, nós decidimos que queríamos viver em uma cidade pequena onde pudéssemos conviver e viver como os locais. Principalmente porque optamos por utilizar transporte público.”

 

Deixe uma resposta