Conheça os diferenciais do intercâmbio na Oceania

Sair do país para viver uma experiência no exterior tem se tornado cada vez mais uma tendência mundial. Países como Austrália e Nova Zelândia, que são receptivos a estrangeiros, se tornaram uma das principais escolhas para se morar.

O começo da jornada na Austrália ou Nova Zelândia

Os primeiros passos dentro de uma nova cultura são para desenvolver as habilidades de comunicação e se adaptar aos costumes do destino. “Mesmo no processo de aprendizagem do idioma, é uma excelente opção procurar trabalhos básicos e que te deixem em contato direto com os nativos. Ao atender um cliente em um café, por exemplo, o intercambista conseguirá colocar em prática tudo o que aprendeu em sala de aula. Assim vai ganhar de forma mais rápida a fluência e segurança desejadas”, explica Jéssica.

Os caminhos para seguir na Oceania

Após adquirir a tão desejada fluência no idioma, o que fazer? Essa é a hora de pular para a próxima etapa e aproveitar para fazer um curso profissionalizante.

“Nele o estudante vai ter a oportunidade de repensar suas prioridades na vida e até mesmo qual o caminho profissional que vai querer seguir. Um curso profissionalizante vai ajudar a tomar essa decisão e ainda dar um upgrade no currículo do viajante”, completa a especialista.

Se o intercambista já tiver um bom conhecimento do idioma, além dos cursos profissionalizantes, ele pode optar por fazer uma graduação e até mesmo seguir para uma pós na Austrália ou Nova Zelândia. Dessa forma ele vai conseguir ingressar com maior facilidade na área profissional desejada e ter um grande diferencial no currículo.

A especialista alerta que para conseguir a permissão de trabalho e estudo nos dois países é preciso estar matriculado em um curso de inglês ou profissionalizante acima de 14 semanas. Dessa forma o estudante pode trabalhar até 20 horas durante as aulas e 40 horas no período de férias do curso profissionalizante.

Trabalhar e estudar no exterior é uma experiência enriquecedora, seja na carreira, na educação ou no próprio estilo de vida da pessoa.

“Estar em contato com uma nova cultura mostra outras formas de pensar, de resolver problemas ou mesmo de se divertir. Por esse motivo tem se tornado uma tendência mundial e um diferencial que as empresas do mundo inteiro consideram importante”, completa.

Sobre a CI

A CI Intercâmbio e Viagem foi criada em 1988, na cidade de São Paulo. Em 30 anos de história, a agência já expandiu para 22 estados brasileiros e 4 países (Austrália, Irlanda, Nova Zelândia e Canadá), com mais de 130 unidades contratadas, sendo hoje a empresa mais reconhecida no segmento.

A CI trabalha com experiências internacionais únicas, seja para estudo, trabalho ou turismo. Cursos no Exterior, High School, Intercâmbio Teen, Trabalhar e Estudar e Mochilão são os programas mais procurados, principalmente, entre jovens de 13 a 35 anos. Ao longo da sua história, a empresa foi responsável pelo embarque de mais de meio milhão de clientes para o exterior.

Para entregar uma solução completa para o cliente, a CI possui um mundo de experiências com as unidades de negócios que fazem parte do grupo, como a CI Experience Brazil, responsável pelos programas incoming; a Amaze, empresa especializada em viagens para estudantes do Ensino Fundamental e Médio; a Amaze Sports; a CI Universidades; a CI Seguros; e a CI Vistos.

 

*Fonte Original da matéria: canaldointercambio

Deixe uma resposta