Au pairs: Saiba como as intercambistas se sentem no término do programa

Voltando ao país de origem

Ao finalizarem o programa, grande parte das au pairs se sentem receosas de voltarem para seu país de origem. Isso acontece, porque a maioria delas já estão adaptadas a uma nova rotina; Por sentirem medo do desemprego ou por não saberem o que vão fazer quando voltarem.

“Eu to com medo de voltar, porque não sei como vou viver longe do meu Host kid (criança que ela cuida) e também não sei com o que vou trabalhar no meu país”. Diz Karolina Poleszka, polonesa e atual au pair.

Francielle contou que o foi um choque quando voltou para o Brasil pela primeira vez “Eu senti que vivi 80 anos em 1. Minhas amigas não eram tão amigas mais. Eu tinha feito muito e o pessoal lá  continuavam no mundinho deles, na mesma rotina de sempre”.

Gabriela ex au pair na California, também relatou que quando teve que voltar para o Brasil foi um momento muito difícil “Faltavam 6 meses para eu voltar, e eu estava arrasada, eu não queria voltar. Por mais que não gostasse de ser au pair, eu não queria encarar o Brasil,  fiquei doente e perdi 10 Kg”.

Ela ficou no Brasil por 3 meses, mas contou que não se sentia feliz: “Me sentia uma perdedora. Foi difícil eu aceitar, mas hoje sei o programa me  abriu portas, trabalho com International Business na Turquia e estou super feliz, vou voltar pro brasil logo e sei que terei outras oportunidades.”

Gabriela Vilela na Turquia Capadócia. Foto tirada por  uma amiga de Gabriela durante passeio.

Já para Gabriela Toste, também ex au pair, foi algo positivo voltar para Brasil, ela conta que apesar de querer ter tido uma experiência diferente nos EUA, em respeito ao seu emocional e seu corpo, voltou. E conta que está muito feliz: “No avião as pessoas falavam português eu chorava , porque eu amo meu país, sou feliz aqui.  Talvez se um dia eu for para uma outra experiência eu tenha uma visão diferente dos EUA.” 

Ela finaliza com uma dica: “Estejam preparados, porque o mundo não para você fazer intercâmbio, o mundo continua rodando. As pessoas continuam vivendo, você não está em uma máquina do tempo que só você vai.. As pessoa que estão no Brasil vão viver a vida delas também”. 

Gabriela Toste em Indaiatuba, após voltar ao Brasil . Foto por Monica Carolina

Caso você não tenha visto os outros blocos da série reportagem, dá um conferida:

Primeira matéria (Inglês e a escolha da família)
Segunda matéria (Desafios e dificuldades)

Terceira matéria ( choque Cultural e preconceito)

Penúltima matéria ( Benefícios do programa)

Nos vemos em breve 🙂

Deixe uma resposta